INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

segunda-feira

Confiança e tranquilidade na entrevista de seleção



Mais uma resposta ao leitor do Empregos.com, na coluna "Pergunte ao Especialista".

Quem sabe é sua dúvida também...




Toda vez que faço uma entrevista fico muito nervosa. Às vezes me ligam para marcar a entrevista e, quando chega o dia, eu não vou. Isso me deixa muito triste e para baixo. Já não sei o que faço.

Olá Eloísa! Assim como você, muitos candidatos ficam nervosos durante a seleção; alguns por conta da dinâmica de grupo, outros devido à entrevista. Como você sabe, processo seletivo é sinônimo de observação e análise, por parte da empresa, e exposição e revelação, por parte do candidato. Não há seleção se algum dos envolvidos não faz seu papel. Porém, há um desnível muito grande entre o candidato e a empresa: mesmo com a mão de obra desqualificada no mercado, há mais oferta de candidatos do que de empregos. Isso quer dizer que a cada oportunidade de emprego desperdiçada, outra poderá demorar a aparecer.

O que lhe deixa nervosa na entrevista: ser observada? Avaliada? Sente-se insegura em relação aos seus conhecimentos técnicos? Talvez seja introvertida e tem dificuldade de se expressar? O primeiro passo, portanto, é fazer essas perguntas a si própria. No segundo passo você precisa encontrar algumas respostas que revelarão fatores que a impedem de participar dos processos seletivos. Depois, outra lição de casa: compreender o máximo possível as respostas, ir à fundo o quanto puder. E o novo passo é extrair lições dessas respostas.

Esse processo nada tem a ver com “receita de bolo” ou “fórmula mágica”. É o mínimo a fazer para compreender o que a torna indisponível para o mercado. Sim, porque sem participar de processos seletivos é como se o mercado não soubesse de sua existência.

Uma vez compreendidos um ou dois motivos você se torna mais consciente, mais focada, mais forte. Esse movimento exigirá de você empenho, vontade de seguir adiante e, principalmente, tolerância e compreensão consigo mesma.

Se você descobrir, por exemplo, que se sente mal nas entrevistas porque foi humilhada em alguma delas, é preciso separar os fatos, as pessoas, as empresas. O que acontece em um momento não necessariamente se repetirá. Além disso, o que pode extrair desse momento, ou seja, quais aprendizados pode obter? Segurança para separar aspectos pessoais dos profissionais, melhoria do autocontrole e equilíbrio emocional são algumas lições.

Um aspecto deve constar sempre em seus objetivos: não há processos seletivos sem entrevistas, mesmo que sejam curtas, objetivas e até amadoras. Esta fase é fundamental para você conquistar o trabalho – e a empresa – dos seus sonhos. Pense nisso.

Bjoks e até!

Nenhum comentário: