INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

segunda-feira

14 informações que o tímido precisa saber para sair-se bem nos processos seletivos

Olá!

Esta é a entrevista na íntegra, concedida à jornalista Daniela Borges do jornal "O Vale + Educação".

Saiba qual a origem da timidez, por que atrapalha um processo seletivo, o que os selecionadores avaliam, como a timidez pode ser positiva, como tirar vantagem dela, o famoso "branco" e dicas essenciais para os tímidos melhorarem sua performance nos processos seletivos.

Acompanhe :)

Abraços e até!


A Entrevista

1- Como você conceitualiza uma pessoa tímida?
A timidez é uma “reserva” derivada do medo, que podem ser vários:
  • Medo de se expor
  • De ser ignorado
  • De ser humilhado
  • De errar e ser avaliado
  • Principalmente, de mostrar-se como é verdadeiramente, que seu “eu” seja revelado
Esses medos vêm da baixa autoestima, baixo autoconceito, autoimagem negativa, além de excessivos autocontrole,  autopercepção e autopreocupação.

2- A timidez pode atrapalhar a participação em um processo seletivo? Explique
A timidez pode atrapalhar não apenas a seleção, como a vida e a carreira. É importante refletir sobre quais perdas a timidez está provocando:
  • Tenho perdido oportunidades por conta da minha timidez?
  • Tenho dificuldade em desenvolver e manter relacionamentos por conta da timidez?
  • Minha timidez me impede meu desenvolvimento no trabalho e/ou carreira?
  • O que a timidez ocasiona na minha vida?


3- O que os processos seletivos mais analisam em uma pessoa?
O processo seletivo é elaborado segundo o perfil de cada cargo, variável de empresa para empresa. Há competências comportamentais comuns à maioria dos cargos. São exemplos:
  • Ética
  • Respeito
  • Comprometimento
  • Responsabilidade
  • Empatia
  • Proatividade
  • Relacionamento interpessoal
  • Trabalho em equipe
  • Comunicação (inclui forma e hora de falar, respeito à fala do outro, ou seja, saber ouvir)
  • Flexibilidade e adaptabilidade
  • Capacidade de resistir às pressões


4- Quando a timidez pode ser positiva em um processo de seleção?
A timidez pode ser muito positiva, pois favorece a prática efetiva do “saber ouvir e escutar”, a atenção genuína ao outro, o respeito aos limites alheios, comportamentos comuns ao tímido.

5- Como tirar vantagem da timidez nessas ocasiões?
Primeiro é essencial ter consciência de que a timidez está presenta na vida. A compreensão do(s) motivo(s) da timidez também pode ser um diferencial. A partir daí a vantagem é a prática dos aspectos positivos da timidez, como os citados acima.

6- E quando a pessoa tímida sofre um 'branco'. O que fazer?
O famoso “branco” tem mais a ver com ansiedade do que com timidez. Todos estão sujeitos a isso, porque a ansiedade pode ser compreendida como um excesso de energia e expectativa momentâneo, como se todo o conhecimento e experiência de vida passassem ao mesmo tempo pela mente. O “branco” é um momento de “travamento”. São tantas coisas que tramitam e perpassam o indivíduo que parece que não sabe nada, não lembra nada, não sabe fazer nada.
Primeira dica: respirar, respirar profundamente para que a ansiedade seja controlada (isso acontece em segundos). A seguir retomar o conteúdo (vale pedir que o Selecionador repita a pergunta). Com a ansiedade controlada os pensamentos começam a fluir e o candidato consegue se posicionar. Esses segundos de “parada” são preciosos e a possibilidade do “branco ir embora” é muito grande.

7- Como o tímido pode trabalhar sua vergonha para fazer bonito em uma seleção?
O tímido tem enormes chances de se dar bem no processo seletivo, superando até o mais falante. Os indivíduos muito extrovertidos podem demonstrar desrespeito à fala do outro, quer seja por excesso de ansiedade, por acreditar que precisa falar muito ou mesmo por acreditar que sabe mais que o outro, exemplos que dificilmente acontecem com uma pessoa tímida.

- Dê algumas dicas básicas para ajudar os tímidos em um processo de seleção.
Todo profissional deve se preparar emocionalmente para um processo seletivo. O tímido não é exceção. Eis algumas dicas:
8Avaliar, compreender e assumir a timidez é o passo inicial, o que acontece antes da Seleção.

9. Durante a seleção esforçar-se para interagir, aproximar-se dos demais, integrar-se em um trabalho grupal, ou seja, mostrar-se. O processo seletivo é formado por técnicas de observação e investigação de competências, de características pessoais, de interesses e potenciais. Se o candidato não se mostra, o Selecionador não observa e não avalia.

10. Emitir opiniões, sugerir, contribuir, ou seja, falar. Isto é esperado pelo Selecionador.

11. Durante a Seleção, se for difícil ser o primeiro a responder uma questão ou posicionar-se, evitar ser o último.

12. Praticar as competências de saber ouvir e saber escutar. São diferentes em profundidade, pois muitas vezes nossa atenção está voltada ao outro (ouvir) e não ao conteúdo da fala (escutar).

13. Agir como ele próprio age, independente do grupo. Isso significa ter opinião própria, posicionamento, assertividade, sempre praticando o bom senso e respeitando o ambiente, as falas e os limites do outro.

14. Praticar a autoconfiança, acreditar que é possível!




Entrevista - Como vencer a timidez na "hora H"

Olá!

Participei desta matéria elaborada pela jornalista Daniela Borges do jornal "O Vale + Educação". Falamos sobre timidez nos processos seletivos.

Acompanhe o texto completo.

Abraços e até!



Como vencer a timidez na ‘hora H’

O mundo é dos extrovertidos, mas nem por isso os tímidos vão ficar fora do mercado de trabalho
O mundo é mais fácil para os desinibidos. Aqueles que não se intimidam diante de uma plateia, que se expressam com desenvoltura, articulam bem as ideias, não perdem o raciocínio e ainda fazem uso de vocabulário variado e, ao mesmo tempo, atraente. Compreendem e são compreendidos. O mercado de trabalho adora os extrovertidos.
Só que nem todos são tão seguros e confiantes a esse ponto. A maioria sofre em ter que se apresentar em público, se sente mal só de pensar em enfrentar o desconhecido, pessoas normais, mas que padecem com a timidez.
Para quem se identificou, a boa notícia é que inibição não é sentença de fracasso. O tímido não está condenado a passar o resto da vida desempregado. Acredite, é possível aprender a trabalhar com esse traço da personalidade e até tirar proveito dele.
E é durante o processo seletivo o momento mais crítico para o tímido em busca de emprego. “A vergonha pode vir a atrapalhar, já que o profissional tem receio de expor suas ideias e até evita se posicionar. Por vezes, pode vir a demonstrar uma atitude de insegurança e baixa autoestima nas entrevistas”, explica a mestre em administração Ylana Miller, diretora da Yluminarh Consultoria de Desenvolvimento e professora do Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais), do Rio de Janeiro.
Para driblar a vergonha e se sair bem em uma reunião de grupo, comum nos processos de seleção, a especialista recomenda que o tímido se preocupe menos em agradar as outras pessoas. “Que aos poucos vá se sentindo mais à vontade e se exija menos”, afirma Ylana. “Deixe alguns pensamentos e a voz interior de lado, não espere que todos vão gostar de você. Para se sentir mais fortalecido se aproxime de pessoas que já o conhecem e converse”, aconselha.
Evitar palavras difíceis, manter o foco, ter cuidado com o tom de voz e não se preocupar com eventuais erros são algumas dicas da professora. “Treinar antes é sempre recomendado para quaisquer candidatos”, aponta.
De acordo com a psicóloga Izabel Failde, consultora organizacional, coach e autora de livros especializados, como “Manual do Facilitador para Dinâmicas de Grupo” (Ed. Papirus), o processo seletivo é formado por técnicas de observação e investigação de competências, de características pessoais, de interesses e potenciais. “Se o candidato não se mostra, o selecionador não observa e não avalia”, afirma. Segundo ela, o candidato deve se esforçar para interagir, aproximar-se dos demais, integrar-se em um trabalho grupal, ou seja, mostrar-se.
Branco
Quem nunca sofreu um ‘branco’ que atire a primeira pedra. Para Izabel o esquecimento momentâneo tem mais a ver com ansiedade do que com a timidez. “Todos estão sujeitos, porque a ansiedade pode ser compreendida como um excesso de energia e expectativa momentânea, como se todo o conhecimento e experiência de vida passassem ao mesmo tempo pela mente”, revela. O ‘branco’ é um momento de travamento.
A primeira dica da especialista é respirar fundo por alguns segundos, para que a ansiedade seja controlada. “A seguir retomar o conteúdo, vale pedir que o selecionador repita a pergunta”, sugere. Com a ansiedade controlada os pensamentos começam a fluir e o candidato consegue se posicionar. “Esses segundos de “parada” são preciosos e a possibilidade do branco ir embora é muito grande”, assegura.

Use tudo a seu favor

O tímido possui grande chance de se dar bem no processo seletivo, superando até mesmo os mais falantes, de acordo com a psicóloga Izabel Failde. “A timidez pode ser muito positiva, pois favorece a prática efetiva do saber ouvir e escutar, a atenção genuína ao outro, o respeito aos limites alheios”, afirma.
Os indivíduos muito extrovertidos, segundo ela, podem demonstrar desrespeito a fala do outro, quer seja por excesso de ansiedade, por acreditar que precisa falar muito, ou por acreditar que sabe mais que o outro. “Exemplos que dificilmente acontecem com uma pessoa tímida”, ressalta.
A professora do Ibmec concorda. “Candidatos mais extrovertidos correm o risco de se comunicar em excesso, expor ideias sem foco e até mesmo fugir do assunto proposto”, completa. Neste ponto, segundo Ylana, o profissional tímido leva vantagem. “Pois pensa duas vezes antes de falar e elabora melhor sua comunicação. É mais cauteloso e preocupado com o seu marketing pessoal, demonstrando também menos ansiedade”, define.
Para Ylana, a timidez tem suas vantagens. “Eles são mais dedicados, são melhor ouvintes, observadores, concentrados e por vezes podem ser considerados com mais foco na qualidade do trabalho. Há também os que na introversão se tornam ainda mais criativos. Todas essas características podem vir a ser usadas em favor do profissional tímido.

Sinais da timidez:
  • Dificuldade de se apresentar em público
  • Constrangimento em defender suas idéias
  • Passividade
  • Dificuldade de se relacionar e de fazer amigos
  • Medo de não corresponder às expectativas dos outros e receio do que os outros vão pensar
  • Na timidez crônica: sensação de desmaio, taquicardia, tremor, rosto vermelho (vermelhidão)
Fonte: Ylana Miller, professora do Ibmec

Competências avaliadas em um processo seletivo:

  • Ética
  • Respeito
  • Comprometimento
  • Responsabilidade
  • Empatia
  • Proatividade
  • Relacionamento interpessoal
  • Trabalho em equipe
  • Comunicação (inclui forma e hora de falar, respeito à fala do outro e saber ouvir)
  • Flexibilidade e adaptabilidade
  • Capacidade de resistir às pressões
Fonte: Izabel Failde, psicóloga, consultora organizacional, coach e escritora

Qual é a origem da sua timidez? Medo de …

  • De se expor
  • Ser ignorado
  • Ser humilhado
  • Errar e ser avaliado
  • Mostrar-se como é verdadeiramente, que seu ‘eu’ seja revelado
  • Medos: consequência da baixa autoestima, baixo autoconceito, autoimagem negativa, excessivo autocontrole, autopercepção e autopreocupação
Fonte: Izabel Failde, psicóloga, consultora organizacional, coach e escritora

Dicas aos tímidos

  • Prepare-se para o processo de seleção
  • Seja bem humorado e simpático
  • Mantenha-se calmo e evite censurar-se, pensando demais antes de responder ou até mesmo deixando de falar
  • Invista em si próprio, seja por meio de terapia comportamental e/ou atividades que promovam seu desenvolvimento pessoal (teatro, curso de técnicas de apresentação dentre outros)
  • Avalie, compreenda e assuma a timidez é o passo inicial
  • Durante a seleção, esforce-se para interagir, aproximar-se dos demais, integrar-se em um trabalho grupal, ou seja, mostrar-se
  • Emita opiniões, sugerira, contribua, ou seja, fale. Isto é esperado pelo selecionador
  • Durante a seleção, se for difícil ser o primeiro a responder uma questão ou posicionar-se, evite ser o último
  • Pratique as competências de saber ouvir e saber escutar. São diferentes em profundidade, pois muitas vezes nossa atenção está voltada ao outro (ouvir) e não ao conteúdo da fala (escutar)
  • Aja de forma própria, independente do grupo. Isso significa ter opinião, posicionamento, assertividade, sempre praticando o bom senso e respeitando o ambiente, as falas e os limites do outro
  • Pratique a autoconfiança, acredite que é possível
Fontes: Ylana Miller, diretora da Yluminarh Consultoria de Desenvolvimento e professora do Ibmec e Izabel Failde, psicóloga, consultora organizacional, coach e escritora

FRASE

‘A timidez pode atrapalhar não apenas a seleção, como a vida e a carreira. É importante refletir sobre quais perdas a timidez está provocando
Izabel Failde, psicóloga e coach
Por Daniela Borges

domingo

Vídeo - Webinar "Como ter sucesso nos processos seletivos"


Olá todos!

Nosso primeiro webinar foi um sucesso! Muitas perguntas, respostas, aprendizados de todos os lados. Os "feedbacks" foram ótimos.

Eis o vídeo para você assistir, atualizar-se e avaliar sua performance nos processos seletivos que participa. Você pode utilizar os conceitos e orientações apresentados tanto para seleções externas quanto internas.

Aproveite! E deixe seu recado abaixo.

Obrigada e até!

Izabel