INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

sexta-feira

Com qual herói você se identifica?




Essa pergunta faz parte de muitos processos seletivos. Entenda melhor sua utilização com a dúvida do leitor. Publicado no Empregos.com.

Participei recentemente de uma dinâmica onde me foi proposto informar um nome de uma personalidade ou herói, entre outros, que eu me identificasse e tinha que responder o motivo da escolha. Então gostaria de saber: Qual finalidade do teste? E ainda qual seria a melhor resposta? Certo da atenção, agradeço desde já.

Luis Flávio Martins

Olá Luis! Essa dinâmica faz parte de vários processos seletivos… diria que já está “bem batida”… mesmo assim pode ser reveladora. Esta atividade (que não é teste) tem como objetivo conhecer o candidato. Faz parte do rol das dinâmicas utilizadas em um processo seletivo que, somadas a outras técnicas, permite à empresa obter uma “fotografia” do profissional. Como a instrução da dinâmica diz, a idéia é observar com qual herói o candidato se identifica. O dicionário Priberam ajuda-nos a compreender melhor o sentido da palavra: tornar idêntico, reconhecer a identidade, absorver, fundir-se, confundir-se. Portanto, ao falarmos de um herói ou qualquer pessoa com a qual nos identificamos, vemos nela características que admiramos e/ou que apresentamos. Falamos, portanto, de nós mesmos através de outra pessoa.

Assim como inúmeras outras dinâmicas que já comentamos neste espaço, não há “certo ou errado”, não há “melhores respostas”. O que se observa é a adequação ou não do perfil do candidato ao perfil da vaga. Difícil de compreender? Veja por este lado: cada organização tem uma “personalidade” ligada a objetivos e resultados a conquistar. A contratação de profissionais que tenham “afinidade” com esse perfil é que garante não apenas sua sobrevivência, mas seu crescimento e desenvolvimento.

Na ânsia de conquistar um lugar ao sol, não raro os profissionais pensam que devem “driblar” o processo seletivo demonstrando aquilo que a empresa quer. Ninguém sustenta esta máscara por muito tempo, o que equivale a dizer que, constantemente, as organizações se surpreendem com um “novo profissional” após sua efetivação. É verdade… muitas pessoas conseguem “segurar” sua real personalidade durante o período de experiência (variável entre 30 e 90 dias), imaginando que não serão dispensadas após esse tempo (pois os custos da dispensa são maiores). Ledo engano! Além da possível (ou certeira) dispensa, a imagem do profissional fica comprometida não apenas nesta organização, mas no mercado. Diria que esta escolha é uma das piores que se pode fazer na carreira.

Não importa com qual herói você se identifica; o que vale é sua sinceridade e coerência durante todo o processo. Isso dá segurança à empresa de contratar o melhor profissional, e a você desperta a confiabilidade no mercado. Lembre-se que, assim como os candidatos, as organizações também se conversam!

Abraços e paz profunda!

Nenhum comentário: