INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

segunda-feira

Entrevista: Dinâmica de Grupo em Seleção

Olá!


Eis a entrevista, na íntegra, concedida ao Assessor de Imprensa do Conselho Regional de Contabilidade (CRC SP), Paulo Prendes, sobre dinâmicas de grupo em carreira, edição 146 (17/11/2011) , link "Carreira" do CRC On Line.



Qual é o principal objetivo da dinâmica de grupo em uma entrevista?


“Dinâmica de Grupo” e “Entrevista” são duas técnicas que fazem parte dos processos seletivos; são momentos diferentes da seleção.

As dinâmicas de grupo são instrumentos que facilitam os processos seletivos, pois permitem que os Selecionadores observem os profissionais em situações simuladas. Assim, cada indivíduo tem possibilidade de demonstrar, por exemplo, como é sua comunicação, sua forma de relacionamento interpessoal, se conseguem ou não ouvir os outros, se demonstram resistência à pressão, se possuem ou não características de liderança e como se apresentam; se são ou não flexíveis e adaptáveis, etc.

Quais são os principais tipos de dinâmica?

Os exercícios são escolhidos considerando as competências e conhecimentos específicos para cada cargo em questão. Uma dinâmica pode facilitar a observação de mais de uma competência, característica, objetivo. Há características e competências comuns a quase todos, como relacionamento interpessoal, comunicação, saber ouvir, resistência às pressões, flexibilidade, adaptabilidade, trabalho em equipe, equilíbrio emocional, iniciativa, motivação, ética.


Que dicas de preparação você pode dar para um candidato?

Cada profissional deve encontrar sua própria preparação. Entre as indicações mais comuns temos: ter uma boa noite de sono, pois tensão e ansiedade podem atrapalhar, alimentar-se pela manhã (ir além do 'cafezinho'), ouvir uma música relaxante (ajuda muitas pessoas), ler um bom livro no caminho (ajuda a passar o tempo no transporte). Até a escolha da roupa influi na segurança do candidato. Sem dúvida, manter o humor elevado - verdadeiramente - faz toda diferença!

Qualquer processo de avaliação gera ansiedade. O que os candidatos esquecem é que isso acontece todos os dias, em qualquer lugar, com qualquer pessoa... a diferença é que não é 'dito', não é 'explícito'; apenas acontece. Pensar no “aqui e agora”, viver os minutos presentes ajudam a diminuir a tensão e a expectativa. Perguntas como “e se eu não passar?”, “o que a empresa vai pensar de mim?”, geram muita ansiedade.


Quais são os critérios a serem avaliados, positiva e negativamente?

Os critérios são comportamentos e atitudes definidos segundo o perfil do cargo, como já citado. Na resposta sobre “objetivos da dinâmica” constam alguns exemplos de aspectos positivos avaliados.

Como comportamentos avaliados negativamente podemos citar: atitudes derrotistas, pessimistas, arrogantes, indisciplinadas, desmedidas, exageradas. O motivo é simples: qual empresa gostaria de trabalhar com um profissional desses? Seria aceito pelo grupo de trabalho? Quais as consequências da contratação deste profissional? Os riscos valem a pena?


Gostaria de acrescentar algo que não foi abordado nessa entrevista?

Competências geralmente são ‘conjuntos’ de características, não uma apenas. Vale a pena citar que são observadas as competências essenciais aos cargos, em primeiro lugar, posteriormente as desejáveis. O ser humano é complexo, por isso são utilizadas varias técnicas de seleção. A união de todas essas observações leva a empresa a decidir-se pela contratação ou não de um profissional.

As competências são observadas e detectadas durante as atividades (não em momentos específicos), selecionadas para este fim. Liderança, por exemplo, é observada considerando um conjunto que inclui iniciativa + boa comunicação + respeito ao outro + saber ouvir + ética + postura de assertividade e coerência + trabalho em equipe. Trabalho em equipe, por sua vez, inclui boa comunicação + respeito ao outro + saber ouvir + ética + postura + respeito a regras e normas.

Um candidato com boa comunicação demonstrará isso durante todo tempo (ou a maior parte dele, considerando o momento inicial de nervosismo). O mesmo com as demais competências. Um candidato que oscila entre ‘demonstra’ e ‘não demonstra’ certa característica gera dúvidas no Selecionador, que se pergunta: “está inseguro?”, “está criando um personagem?”, “quer demonstrar algo que não apresenta?”, “quem é esta pessoa verdadeiramente?”.

Vale a pena lembrar que o fator ‘tempo’ em dinâmica de grupo é favorável às empresas e aos candidatos que não estão preocupados com seu ‘personagem’. Uma máscara pode durar certo tempo, não o tempo todo.

 
Foto: personagens em crochê, no Geek

Nenhum comentário: