INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

sexta-feira

Meu Máximo

O homem por detrás do balcão olhava a rua distraidamente. Uma garotinha se aproximou da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrine. Os olhos da cor do céu brilharam mais ainda quando encontrou um determinado objeto. Entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesa azul.
- É para minha irmã. Pode fazer um pacote bem bonito? Disse ela.

O dono da loja olhou desconfiado e perguntou:
- Quanto dinheiro você tem?

Sem hesitar, ela tirou do bolsinho da saia um lenço amarrado e desfez os nós. Colocou-o aberto sobre o balcão e, feliz, perguntou:
- Isso dá?

Eram apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.
- Sabe, quero dar esse presente para minha irmã mais velha. Desde que nossa mãe morreu ela cuida da gente e não tem tempo pra ela. É seu aniversário e tenho certeza que ficará feliz com este colar, que é da cor dos seus olhos.

O homem foi para o interior da loja, colocou o colar em uma pequena caixa, embrulhou com um vistoso papel vermelho e caprichou no laço.
- Tome, disse ele para a garota. Leve com cuidado!

Ela saiu feliz, saltitando, rua abaixo. Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de cabelos loiros e olhos azuis entrou na loja. Colocou sobre o balcão o embrulho e indagou:
- Esse colar foi comprado aqui?
- Sim, senhora.
- E quanto custou?
- Ah! O preço de qualquer produto em minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente, informou o lojista.
- Acontece que minha irmã, disse a moça, só tinha algumas moedas. O colar é verdadeiro, não é? Então ela não teria dinheiro para pagá-lo!

O homem tomou o estojo, refez o pacote com o mesmo carinho e o devolveu à jovem.
- Ela pagou o preço mais alto que qualquer um pode pagar. Ela deu tudo o que tinha!

O silêncio se fez presente. Duas lágrimas rolaram pela face emocionada da jovem enquanto suas mãos tomavam o pequeno embrulho de volta.

Nem todos estão preparados para a mudança, para a liberdade responsável, para responder e tomar conta de sua própria vida e carreira. Dar o máximo? Esse é o cotidiano de todos. Até que ponto acontece, é variável. Para alguns "dar o máximo" significa esforço constante, incansável, conexão 24 horas com o trabalho. Para outros significa fazer seu trabalho cotidiano muito bem feito... e só. Há ainda aqueles que entendem que "dar o máximo" nada mais é do que esforçar-se, porém sempre da mesma forma, com as mesmas idéias e ações.

Cada um dá o que tem, ouvimos isso constantemente. A meu ver, a frase é parcialmente adequada. Podemos pensar também em "cada um dá o que pode, o que quer, quando quer, a quem deseja, da forma possível ou interessante". Podemos escrever mais algumas coisas sobre isso. Recordemos pessoas de nossa história que venceram na vida, obtiveram sucesso, tiveram momentos de glória. Esforço, dedicação, "dar o máximo" certamente fizeram parte do contexto desses indivíduos.

Nem sempre podemos encontrar pela frente um profissional sensível e compreensível como o dono da loja da nossa história. A realidade é mais dura que isso, a maioria das vezes. Mas uma coisa que deve permanecer a mesma, é a intenção e a ação de "dar o máximo".

Pense nisso.

2 comentários:

Palavras na Brisa Noturna disse...

Oi Izabel
que ótima leitura!
Deveríamos todos romper certos limites vez ou outra em prol de experiências incríveis como esta!

Izabel :)) disse...

Oi Soninha... que bom vê-la por aqui. Compartilho com vc: pensar fora da caixa é cada mais mais que necessário, é fundamental para nossa sobrevivência com qualidade! Bjs de saudades!