INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

terça-feira

Diga NÃO à mesmice!


Será que você é como eu? Tenho certo pavor da mesmice, da acomodação. Que me perdoem o profissionais de marketing, que ensinam a definir uma imagem e mantê-la por determinado tempo “para fixar”. Não uso dois dias seguidos o mesmo perfume, brincos ou enfeites de cabelo. Só de pensar em ficar um ano com os mesmos objetivos e procedimentos é uma tortura!


A reflexão sobre 'manter' ou 'mudar', é constante na nossa vida pessoal, profissional, social. Temos por hábito definir objetivos para o ano que inicia. Itens como 'ver mais meus amigos', 'emagrecer', 'retomar as atividades físicas', “falar outro idioma”, são quase comuns. E sempre temos algo a alterar, já reparou?


O ano passa e muitas vezes constatamos que mudamos poucas coisas ao nosso redor. Interessante é que, daquilo que queremos transformar, quase tudo (senão tudo mesmo!) depende exclusivamente de nós. Então... “por que não mudar?”


- É difícil, dizem alguns.
- É complicado, dizem outros.
- Dá trabalho, arrematam os demais.


Está certo, são fatos. Mas... e daí? O que é fácil na vida? Vamos deixar assim, tudo do jeito que está, mesmo que não esteja bom, que possa melhorar? Será que não é igualmente difícil manter a forma, o caminho?


Se o mundo muda, tudo e todos ao nosso redor se transformam, é preciso muita energia para não acompanhar essas mudanças. Além do mais, o que é mais complicado: pensar, agir ou manter, paralisar?


Trabalho... tudo dá trabalho. Você conhece alguém que consegue seus objetivos com facilidade? Se tem um amigo assim, repare: as metas alcançadas sem esforço não se sustentam.Quem inventou o ditado “vem fácil, vai fácil” não o fez à toa...


Portanto, já que sabemos que é difícil, complicado, que dá trabalho, podemos dizer que estamos preparados para este processo. Sim, pois a partir do momento que consideramos várias hipóteses negativas, formas de ‘dar errado’, é quase automático refletir sobre o que pode ser feito para neutralizar ou eliminar tudo isso. “Sem querer” temos os planos 'B', 'C' ou 'D. “Sem querer”, ao pensar nos insucessos, tomamos consciência do que pode fracassar e ficamos mais preparados.


Pensando bem, parece que nos prevenimos mais para o fracasso do que para o sucesso. Então... que tal inverter?


Considerar hipóteses é nosso dever, calcular o que pode dar errado é condição básica, resistir à frustração é fator de sobrevivência. E colher ótimos resultados é nosso direito!!!


Vá lá, aproveite essas reflexões e pratique-as. Comece. O primeiro passo é difícil, o segundo um pouco menos. O terceiro você vai “tirar de letra”!


Bjks e até!



Foto: Extintores de incêndio by Fire Design

2 comentários:

edna furtado disse...

adorei esse papo,me odentifiquei sabe?1

Izabel :)) disse...

Oi Edna! Que bom que vc se identificou... é ótimo para seu momento! Dar o máximo, pensar fora da caixa (leia o post "Meu Máximo"), sair da mesmice... acredito que são atitudes vitais para nossa saúde mental, espiritual, física e 'organizacional'. Td bem com vc? Novidades? Aproveitando seu tempo? Espero que sim... com muita qualidade. Bjs!