INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

segunda-feira

Objetivos e Metas: sonhos ao alcance de todos


Olá!

O texto abaixo foi elaborado para um dos grupos de 'coaching' que conduzo... geração Y que tem ideias, ideais e precisam sistematizar tudo isso. Aproveite para repensar...

Bjs e até!

Objetivos e Metas... alguns dizem que são a mesma coisa, outros apontam diferenças. Ambos significam conquistar, alcançar, ganhar, aprender. Para melhor entendimento e prática, vamos tratá-los como diferentes:

Objetivos – sonhos a atingir; realizações gerais, mais amplas; resultados finais.
Metas – segmentações do objetivo; etapas a conquistar / alcançar; resultados intermediários.

Para alcançá-los ambos devem:
1. Ser traçados individualmente ou em grupo, se considerar família ou empresa.
2. Ser definidos com clareza, objetividade e positivismo. De preferência por escrito.
3. Ser precisos: o que alcançar considerando datas / tempos / prazos para serem atingidos, recursos, habilidades e conhecimentos necessários.
4. Ser desafiadores e realistas.
5. Ter prioridades de alcance.
6. Considerar algum tipo de resultado, ganho.
7. Contemplar estratégias, diretrizes e táticas para serem alcançados.
8. Envolver você (ou à sua família / grupo) prática e emocionalmente. Comprometimento é a palavra.
9. Ser avaliados e medidos constantemente. Metas quantitativas são bem vindas, assim como metas de performance.

Sobre os objetivos:
• Estão diretamente relacionados à sua missão de vida, que pode ser pessoal / profissional / familiar / social.
• Pergunte-se “o que quero alcançar?” quantas vezes forem necessárias até chegar à essência de seu objetivo.
• Avalie o impacto da conquista de seus objetivos sobre seu círculo familiar / profissional / de amizades e responda: “vale a pena?”
• Arregace as mangas e pratique imediatamente.

Sobre as metas:
• Mantenha-as pequenas. São mais rápida e facilmente alcançadas e facilitam o sentimento de realização, mesmo que parcial, a cada conquista. Isso mantém a motivação em alta.
• Cuide para que não sejam tão pequenas. Ao contrário do que possa parecer, metas muito fáceis de serem atingidas não contém desafios, por isso são banais e trazem pouco (ou nenhum) sentimento de realização. Podem, inclusive, trazer frustração.
• Monitore seus próprios resultados e realinhe a trajetória, se necessário. Certifique-se de que as metas traçadas o levarão a alcançar os objetivos propostos no tempo determinado.
• Defina a frequência com que irá analisar as metas. Crie o hábito de autoavaliar-se.
• Utilize uma ferramenta de avaliação como a Matriz FOFA (ou SWOT): para cada meta defina forças, fraquezas, oportunidades e desafios. Sempre que possível introduza um conceito quantitativo e faça comparações quanto ao desempenho / evolução da meta.
• Evite alterar o tempo / prazo definido para o alcance de cada meta. Antes de adiar pergunte-se: “o adiamento é necessário ou estou me boicotando de alguma forma?”.

Agora vamos olhar sob outro ângulo. Acompanhe alguns mitos que envolvem a definição de objetivos e metas:

1º mito – Eu já tenho metas, não preciso defini-las.
Claro que todos têm sonhos, entretanto nem todos se preparam para atingi-los. Objetivos são diferentes de fantasias ou modismos, como ser magro, aprender a dança da moda ou ganhar dinheiro suficiente para adquirir um Rolex. Objetivos ou desejos vagos são comuns; descrevê-los, traçar linhas de ação e avaliar os resultados fazem a diferença.

2º mito – Eu não preciso de metas, estou indo bem!
Já ouviu falar sobre a “Síndrome de Alice”? No conto “Alice no País das Maravilhas” a protagonista e o Gato travam o seguinte diálogo:

Alice – Qual caminho devo seguir?
Gato – Para onde você quer ir?
Alice – Tanto faz!
Gato – Então para quem não sabe para onde ir qualquer caminho serve...

Se você está bem sem metas e planos, imagine onde poderia chegar com eles? Muitos reclamam da sorte, porém poucos se preparam para as oportunidades.

3º mito – Não preciso escrever metas, estão todas na minha mente.
Temos cerca de 1,5 mil pensamentos por minuto, o que significa que nossos objetivos e metas podem estar perdidos em meio a este turbilhão. Ao escrevê-los não apenas definimos, mas deixamos claro à nossa mente quais são nossos propósitos, além de direcionar nossa concentração e energia para tal.

4º mito – Não sei como definir metas.
Poucos sabem, na realidade. A boa notícia é que podemos aprender a definir nossos objetivos e metas. Dê o primeiro passo: pense e escreva. A habilidade virá com a prática.

5º mito – Metas não funcionam para mim; a vida é muito imprevisível.
Há diferença entre não ter rumo (como a Alice) e realinhar a rota. Os objetivos podem até demorar um pouco mais para serem atingidos, ou demandarem recursos não previstos. Com objetivos traçados sempre é possível corrigir a rota; já se estiverem soltos na mente...

P.S. - A definição dos mitos foi baseado em texto do site http://liderando-lideres.com.br

Um comentário:

RAQuel disse...

Belzita, ainda hoje almocei com IAra e falamos de ti. Por onde andas ? Mega saudades. Deixo um super beijo de boas festancas. Raq