INSIRA SEU EMAIL PARA RECEBER GRATUITAMENTE DICAS, INFORMAÇÕES E NOVIDADES

sexta-feira

Tipo de Gente



Recentemente conversei com uma cliente que me confidenciou algumas dificuldades. Na empresa em que trabalha há políticas de aproveitamento dos talentos internos, em primeiro lugar. Isso é excelente e requer acompanhamento, orientação, treinamento dos gestores para com os profissionais que compõe sua equipe, dentre outras ações.

Uma das dificuldades reside no fato de alguns gestores AINDA acreditarem que ser insubstituível é a melhor política. Isso quer dizer que não liberam, não incentivam ou simplesmente execram os profissionais que, infelizmente para eles, são ótimos no que fazem. Por isso não podem ser "dispensados", nem que seja para uma promoção.

Outra dificuldade é que, mesmo com orientação e acompanhamento, os profissionais avaliados como "prontos" para assumirem novos cargos, simplesmente recusam promoções. Preferem ficar onde estão, receber menor salário e, consequentemente, manter a responsabilidade em níveis "controláveis e aceitáveis". Ainda há aqueles que têm medo de se frustrar (e à empresa...) e escolhem permanecer nos cargos atuais.

Século XXI... ainda vemos isso...

Se há um sentimento que rejeito é o de pena, mas em muitos desses casos não me contenho e percebo-me penalizada, com dó desses profissionais. Por mais talentosos que sejam (tanto os gestores quanto os "mortais") dificilmente sairão de suas redomas, a não ser para um "belo e profundo" buraco no qual a vida, sem dúvida alguma, irá lhes apresentar. Daí a decisão de crescer não será realmente, opção, mas condição para sobrevivência.

Claro, temos opiniões, escolhas, momentos. Apenas que, impedir o outro ou a si próprio de crescer é um choque na evolução e pode gerar graves conseqüências.

Em meus guardados encontrei o texto a seguir. De autor desconhecido, ilustra um pouco do que acabamos de comentar.


Gosto de gente com a cabeça no lugar, de conteúdo interno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade.

Gosto de gente que ri, chora, se emociona com uma simples carta, um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.


Gente que ama e curte saudades, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais, admira
paisagens, poeira e escuta.


Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras, compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si, emoções que fluem naturalmente de dentro do seu ser.


Gente que gosta de fazer coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam.


Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, mesmo que seja de uma criança, de um religioso, de um analfabeto.


Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos, com muito amor dentro de si.


Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes, tirando lições dos
erros e fazendo redentora suas lágrimas e sofrimentos.


Gosto muito de gente assim... e desconfio que é deste tipo de gente que Deus também gosta.



Pense nisso.

Abraços e paz profunda!


Nenhum comentário: